O JÚBILO DE QUEM AMA
19 de Julho de 2009

 

 




Ele nasceu em 1833 em Hamburgo, umas das principais cidades portuárias da Alemanha. Filho de músico --o pai era contrabaixista e tocava em tavernas da cidade--, desde pequeno possuía dotes especiais para a arte. Aos sete anos, incentivado pela família, começou fazer aulas de piano. O talento do menino era tanto que, com apenas dez anos, realizou o primeiro concerto público com composições de Mozart e Beethoven.

Pouco tempo depois, começou a tocar nas noites com o pai. Foi neste período que se revelou como um homem bruto, extremamente grosseiro --zombava de todas as mulheres. Nesta mesma época, iniciou as aulas de composição e conheceu importantes nomes da música, como os violinistas Eduard Reményi e Joseph Joachim e os compositores Franz Liszt e Robert Schumann.

Durante um longo período, Brahms percorreu algumas cidades alemãs e dividiu o tempo morando nas residências de Joachim, em Hannover, e Schumann, em Dusseldorf.

Apenas com a morte de Schumann, ele finalmente decidiu arrumar um emprego. Passou a trabalhar como mestre de capela em Lippe-Detmond, uma pequena cidade germânica, onde ficou por pouco mais de um ano.

Em 1863, o compositor foi morar em Viena. É na capital austríaca que ele obtém sucesso e dedica-se exclusivamente à composição. O mérito de grande compositor chegou com a estréia do Réquiem alemão, em 1868.

Graças a essa obra, foi convidado para dirigir a Sociedade dos Amigos da Música, principal centro artístico da cidade. Brahms ficou à frente da instituição por cerca de três anos (de 1872 a 1875).

Mesmo já consagrado como importante compositor, recebeu o título de "sucessor de Beethoven" com a sua primeira sinfonia, em 1876. Pouco antes de morrer, depois de terminar o Quinteto de cordas op. 111 decidiu parar de compor -- inclusive deixou um testamento preparado. No entanto, voltou rapidamente à rotina de músico e escreveu inúmeras obras de câmara para clarinete.

 

 

Muitos dizem que Johannes Brahms dominou, junto a Richard Wagner, a música clássica da segunda metade do século 19. Um dos maiores nomes da cultura alemã, o compositor dedicou-se a quase todos os gêneros --exceto ópera e balé-- por meio do que acreditava ser realmente uma música pura. Talvez por isso seja tão difícil compreendê-lo.

Brahms considerava-se, orgulhosamente, um "pagão" por não acreditar em Deus. Manteve-se solteiro e dedicou a vida às viagens pela Europa, principalmente à Itália. Morreu aos 63 anos, de câncer no fígado, no dia 03 de abril de 1897.

Fonte: Coleção de Músicas Clássicas da Folha de São Paulo

 

 

 

cleudf
contador de visitas para blog
publicado por cleudf às 20:48 link do post
sinto-me: DECEPCIONADA
música: CLÁSSICA
Cleudf
cleudf cleudf

contador de visitas blogger
Translate
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

tema
contador de visitas blogger
contador de visitas blogger

Map IP Address
Powered byIP2Location.com


contador de visitas blogger
blogs SAPO